Doze anos separam Think Tank (2003) de The Magic Whip, o mais recente álbum da banda britânica Blur. Durante esse período seus integrantes trabalharam em projetos paralelos e as duas cabeças criativas do grupo, Damon Albarn e Grahan Coxon, esfriaram a relação musical de mais de duas décadas. Para os fãs de um dos ícones do britpop pode ter sido uma fase saudosa, mas para os rapazes foi bom período para ampliar o universo sonoro e pensar sobre os rumos do Blur.

 

The Magic Whip
The Magic Whip

 

The Magic Whip traz a formação original do grupo (Damon Albarn, Grahan Coxon, Alex James e Dave Rowntree), mas vem embalado em novas sonoridades, momentos reflexivos e experimentações. O disco começou a surgir em 2013 com uma jam session em Hong Kong. Naquele ano o Blur foi chamado para participar de um festival que não aconteceu e com o tempo livre, os moços começaram a trabalhar no que viria ser o 1º álbum da banda em mais de uma década. Mas para o clima ficar perfeito faltava a parceria do produtor de alguns dos trabalhos do quarteto : Stephen Street. Com a família musical reunida, foram necessários poucos dias para que The Magic Whip ganhasse forma.

 

Stephen Street, parceiro musical de longa data do Blur
Stephen Street, parceiro musical de longa data do Blur

 

Neste novo trabalho o Blur se deixou levar pela sonoridade eletrônica, mas não abriu mão da guitarra criativa e eficiente de Grahan Coxon, que soube unir  momentos quase lisérgicos a levadas pop e pegadas mais roqueiras. Já a cozinha formada por Alex James e Dave Rowntree trouxe o ritmo certo para cada uma das faixas, sem excessos ou  batidas dissonantes. E Damon Albarn por sua vez, soube usar a cama que a banda montou para ele, e soltou sua voz  ( e interpretação ) na medida certa para cada composição. O Blur já não é mais um grupo formado por garotos ingleses buscando se firmar no mercado musical. Pelo contrário, são quatro homens com uma bagagem repleta de experiências – musicais e de vida –  com idas e vindas em suas relações, mas com a certeza de onde querem chegar e de onde não querem sair. Faixas como My Terracota Heart, Ghost Ship, Go Out e Ice Cream Man monstram que a maturidade e todas as vivências individuais de cada um, só fizeram bem para o som do grupo.

 

Os "homens" do Blur
Os “homens” do Blur

 

Para conhecer The Magic Whip e a história do Blur é só acessar blur.co.uk, está tudo lá : vídeos, discos, biografia, agenda e redes sociais. Aqui no Link Sonoro a você confere a faixa Go Out.

Até a próxima😀