Como acontece com toda super banda que carrega na bagagem anos de sucesso e fãs fiéis por todo mundo, o lançamento de um novo trabalho provoca uma expectativa gigante e um burburinho generalizado.  E assim foi com o U2 e seu mais recente álbum, Songs Of Innocence. Desde No Line On The Horizon, se passaram 5 anos sem nada de novo vindo dos irlandeses. Depois deste período de espera, o lançamento de Songs Of Innocence gerou uma repercussão enorme, tanto positiva quanto negativa.

 

Songs Of Innocence
Songs Of Innocence

 

O disco chegou ao mercado junto com o Iphone 6, sim, a pessoa comprava o aparelho e o disco já estava lá dentro, sem aviso ou opção de deletá-lo. O que era para ser uma estratégia de primeira, afinal o grupo tem fãs espalhados pelo mundo inteiro, gerou desconforto para algumas pessoas e a Apple precisou criar uma ferramenta que possibilitasse que o “applemaníaco” deletasse as faixas, caso quisesse. Mas mesmo com algumas reclamações, o U2 segue firme no trabalho de divulgação do álbum.

 

U2
U2

 

Songs Of Innocence, que tem a produção de Danger Mouse (membro do Gnarls Barkley), é a primeira parte de um projeto que inclui o lançamento de um novo disco intitulado Songs Of Experience, que segundo Bono Vox sairá em breve. Os dois nomes são inspirados em Songs of Innocence and of Experience, obra do poeta inglês William Blake. Não se pode dizer que o U2 se superou neste disco, mas o álbum traz momentos que nos remetem aquele U2 de algumas décadas atrás, com seu rock objetivo e viceral.

 

Songs of Innocence and of Experience - Willian Blake
Songs of Innocence and of Experience – Willian Blake

 

Em Songs of Innocence, Bono Vox e Cia apresentam canções que remetem a juventude dos rapazes, como a faixa de abertura, The Miracle, uma clara homenagem ao Joey Ramone, e Cedarwood Road nome da rua onde Bono viveu na infância. A memória política também está lá em Raised by Wolves, que lembra a explosão de um carro-bomba em Dublin e a mãe de Bono – já falecida – e sua esposa são devidamente homenageadas em Iris (Hold Me Close) e Song for Someone, respectivamente.

 

U2 antigamente
U2, rock objetivo e viceral

 

Songs Of Innocence traz arranjos bem trabalhados, a bateria bem marcada de Larry Mullen e o bom e velho entrosamento de Adam Clayton e The Edge. Talvez por ter uma sequência cheia de altos e baixos, em alguns momentos temos aquela vontade de pular para a faixa seguinte, mas vale se manter firme e conferir Songs Of Innocence na íntegra.

Aqui no Link Sonoro você confere a faixa The Miracle (Of Joey Ramone).

 

Até a próxima! 😀