O ano era 1978 e Sarah Vaughan se uniu a um time de feras da música brasileira no estúdio da RCA, no Rio de Janeiro, para registrar o disco O Som Brasileiro de Sarah Vaughan. Esse foi o 1º de três álbuns em que a cantora explorou o vasto, e fértil, repertório nacional. Vale lembrar que antes de tudo isso, Sarah já havia dividido o palco com Wilson Simonal em um dueto pra lá de bem humorado. Ou seja, ela era uma apaixonada pela nossa rica MPB já tinha um bom tempo.

 

O Som Brasileiro de Sarah Vaughan

 

Em O Som Brasileiro de Sarah Vaughan a cantora selecionou um repertório elegante e bem variado. Com a produção de Aloysio de Oliveira e  Durval Ferreira, o álbum traz versões em inglês para Travessia, do então jovem Milton Nascimento, que aqui ganhou o título de Bridges, Das Rosas ( Roses and Roses ) de Dorival Caymmi, Se Todos Fossem Iguais a Você ( Someone To Light Up My Life ) de Tom e Vinícius e Preciso Aprender a Ser Só ( If You Went Way ) dos irmãos Marcos e Paulo Sérgio Valle. Só pra citar algumas pérolas que você vai encontrar  neste álbum memorável.

 

Hélio Delmiro e Sarah Vaughan, imagina o que estava saindo ali….

 

As participações : essas são um caso à parte. Pense em um estúdio de gravação…..agora imagine que estão lá “fazendo um som”, além de Sarah Vaughan, Tom Jobim, Helio Delmiro, Dorival Caymmi, Milton Nascimento, Wilson das Neves, Danilo Caymmi e Paulo Jobim. É de tirar o fôlego sonoro de qualquer um, e não é para menos. Miss Vaughan conseguiu extrair de cada um, através do seu canto, o que havia de mais requintado em seus instrumentos. O resultado foi um disco harmonioso, bem produzido, altamente elaborado e que conseguiu, mesmo em inglês, mostrar a sutileza das letras e melodias dos seus compositores. Um álbum clássico e atemporal que merece espaço nos nossos HD’s. Afinal, não é todo dia que podemos escutar um grupo tão afinado como este!

Aqui no Link Sonoro você confere a faixa Bridges, versão de Sarah Vaughan para Travessia de Milton Nascimento.

Até a próxima!