O mundo da música recebeu neste 1º semestre de 2012 mais um trabalho dos ingleses do Keane. Strangeland, 4º álbum da banda, mostra uma volta dos rapazes aos primeiros momentos da sua carreira. Se em Perfect Symmetry, disco lançado em 2009, o grupo resolveu beber em outras fontes e introduzir sintetizadores e guitarras mais destacadas, agora o pop melódico, conduzido pelo piano de Tim Rice-Oxley, retoma as rédeas das composições.

 

Strangeland

 

Em Strangeland aquele ar que varia entre o alegre e o melancólico permeia todo o álbum, que ganhou a produção de Dan Grech-Marguerat em todas as faixas. Aliás, Dan parece ter entendido perfeitamente o que o Keane queria. Arranjos bem elaborados e que dessem destaque para a voz e interpretação inconfundíveis de Tom Chaplin. E com certeza, é nesse universo musical repleto de cores, às vezes densas e em outras brilhantes, que o grupo explora o que tem de melhor.

 

O trio virou quarteto e oficializou o baixo de Jesse Quin

 

Fã da banda ou não, vale consumir Strangeland sem medo. Em meio a tantos artistas que assumem o rótulo “pop”, simplesmente pelo número de vezes que suas músicas são exaustivamente repetidas nas FM’s, Youtube’s e afins, o Keane mostra que para ser popular não é preciso ser pequeno em sua criatividade. E se você quiser mais Keane é só acessar www.keanemusic.com ou dar aquele follow no @Keaneofficial. Ah, dizem as boas línguas que o Brasil pode estar na turnê de Strangeland, agora é torcer os dedinhos para uma 2ª visita dos ingleses ao país.

Aqui no Link Sonoro você confere o clip da faixa Disconnected.

Até a próxima!

 

Anúncios