Toda expressão artística é, de certa forma, um desabafo. São situações reais ou fictícias que ganham voz nas criações de seus criadores. Com Jack White não poderia ser diferente, tudo para ele é assunto, tanto na partitura quanto no seu bloquinho de notas. Em seu primeiro álbum solo, Blunderbuss, Jack confirma mais uma vez que ele é, nos dias atuais, um dos caras mais criativos e geniais do “rock-blues-country-soul” que temos por aí. O trabalho solo de estreia do moço traz um pouco de cada Jack White que já conhecemos : o do White Stripes, do Raconteurs, do The Dead Weather, além do guitarrista de primeiríssima linha que traz na paleta influências musicais das mais diversas.

 

Blunderbuss

 

Em Blunderbuss, Jack White abre um espaço bem maior para os teclados mas sem deixar de lado a força expressiva da sua guitarra. O resultado é um rock mais melódico como nas faixas Weep Themselves To Sleep e Hypocritical Kiss esta, inclusive, te leva fácil fácil para algum lugar no rock do anos 70. Seguindo seu instinto sonoro, White busca nas suas raízes americanas o blues com as tradicionais paradinhas e backing vocals inspiradíssimas em  I’m Shaking’ e  o country típico como em Hip  (Eponymous) Poor Boy. Jack também assume a produção do álbum e se junta a dezoito talentosos músicos e a sua ex-mulher Karen Elson para colocar mais tempero ao seu rock.

Fã do cara ou não vale à pena dar espaço no HD para  Blunderbuss e sempre visitá-lo quando der aquela vontade de escutar um rock cheio de nuances mas sem nenhum tipo de frescura.

Aqui no Link Sonoro você confere o clip da faixa Love Interruption.

Até a próxima!

 

Anúncios