Quando a gente escuta Raça Humana, álbum de Gilberto Gil de 1984, nos perguntamos porque é tão difícil um artista ou banda, nos dias de hoje, que façam um disco repleto de “sucessos” , ou hits se você preferir. Se fizermos um apanhado da obra deste embaixador da música brasileira, vamos perceber que Gil é um poço em constante ebulição criativa. Sempre antenado mas sempre reverenciando o passado. Talvez seja este engajamento de corpo e alma nas entranhas da cultura nacional que tenha dado a ele “conteúdo” para criar músicas que qualquer brasileiro sabe cantar, afinal a gente se enxerga na obra deste baiano.

 

Raça Humana (1984)

 

Em Raça Humana, Gil explora as mais delicadas nuances do ser humano e suas histórias e os embala em muito rock, reagge e forró. Um embrulho perfeito para temas como escravidão (mesmo depois de sua abolição), o inferno astral daquelas “Pessoas Nefastas”, a sensualidade e o amor, o preconceito e o cotidiano de todos nós.

 

O olhar sempre atento de Gil para a “raça humana”

 

Em uma feliz parceria com Liminha, Gilbero Gil deu vida a canções que se tornaram marcos na sua carreira. No repertório de Raça Humana estão Indigo Blue, Pessoa Nefasta, Vamos Fugir, Tempo Rei, Extra II “O Roque da Segurança” e A Mão de Limpeza. Já se passaram 28 anos do lançamento de Raça Humana e seus temas continuam atuais. Gil tem essa característica, seu olhar profundo sobre temas diversos torna sua obra atemporal.

 

Liminha, um produtor e músico sempre bem-vindo no trabalho de qualquer artista

 

Vale muito à pena lembrar Raça Humana e escutá-lo na íntegra, com certeza você vai se ver cantando uma boa parte do repertório. E seguir Gil é sempre uma ótima pedida também, o twitter do moço é www.twitter.com/gilbertogil, que aliás é super atualizado.

Aqui no Link Sonoro você confere a faixa Indigo Blue faixa do álbum Raça Humana de Gil de 1984.

Até a próxima!

 

Anúncios