Doses generosas de samba, baladas envolvidas em sonoridades delicadas, uma pitada de jazz e um repertório que parece ter sido escolhido à dedo. Assim é (resumidamente claro!) 6º Solo mais recente trabalho da cantora Luciana Mello lançado nos últimos meses de 2011. O álbum expõe uma brasilidade musical madura com arranjos feitos na dose certa para a voz firme da moça.

6o Solo

Luciana buscou pérolas nos trabalhos de gente tarimbada da MPB para criar um ambiente cheio de nuances, sem medo de colocar no mesmo caldeirão os diferentes temperos da nossa música. Como disse Ivan Lins no (apaixonado) texto que fez para apresentar 6º Solo : “Geraçãozinha bacana essa da Luciana….São livres, portanto mexem em tudo como crianças levadas…Luciana faz isso o tempo todo …o complexo e o simples abraçadinhos.”  Frescor e atemporalidade andam de mãos dadas por todo o álbum.

Liberdade de atitude, música e pensamento

O repertório traz o poder de fogo dos versos de Gonzaguinha na faixa Recado, a força das raízes africanas em Áfrico de Sérgio Santos e Paulo César Pinheiro e a levada cheia de swing do irmão Jairzinho Oliveira em Tchau. Isso sem falar na elegância de Couleur Café de Serge Gainsbourg que tem a participação do alemão-franco-canadense Cornelle e do samba de primeira Mentira, onde Luciana divide os vocais com o paizão cheio de categoria Jair Rodrigues. Tudo isso na produção bem conduzida de Otávio de Moraes, que com muita sensibilidade captou perfeitamente o que Luciana queria dizer.

Gonzaguinha : "franco, direto e aberto"

6º Solo deixa Luciana Mello confortável para buscar na diversidade sonora todas suas influências e raízes e à partir daí ampliar seu território sonoro. Uma navegada no site da @lumellonega, www.lucianamello.com.br , é super válida para mergulhar em seu trabalho. Então boa viagem!

Aqui você escuta o sambinha nota 10 Mentira que tem a participação de Jair Rodrigues.

Até a próxima!

Anúncios