O 2o álbum de um artista ou banda talvez seja mais desafiador que o trabalho de estreia. Passada a fase da “novidade” vem aquela em que o músico se firma, ou não, no mercado e no gosto do seus fãs.

Hoje a gente vai falar do 2o disco de um dos artistas mais geniais da música brasileira, Jorge Ben Jor. No início dos anos 60 o Brasil se rendia a bossa-nova de João Gilberto, a poesia de Vinícius, aos arranjos incomparáveis de Tom Jobim ao mesmo tempo que via nascer artistas que iriam ampliar ainda mais a diversidade da nossa música. Mutantes, Caetano, Gal, Tom zé, Chico Buarque, Jorge Ben Jor e tantos outros.

João Gilberto e Tom Jobim, mestres da música brasileira

Samba Esquema Novo (1963), seu 1o álbum, mostrou que aquele jovem queria dar ao nosso samba uma cara nova mas que não deixasse de lado as raízes africanas, além de todas as referências culturais que formam a essência do samba. O que deixou alguns puristas com o nariz torto e olha que lá estão faixas como Mais Que Nada, Chove Chuva e Por Causa de Você Menina, só pra citar algumas.

O início do 'esquema novo de Ben Jor'

Em 1964 Sacundin Ben Samba invade o Brasil dando sequência ao ‘esquema novo de ben jor’. O álbum tinha a genialidade do saxofonista J.T.Meirelles nos arranjos e a companhia de umas das bandas mais swingadas do Brasil, o Copa 5. Jorge Ben ( na época ele ainda não tinha o Jor no final do nome ) pega seu samba e mistura a uma salada feita de jazz, capoeira, vocais manhosos, um tom lisérgico e os ritmos que ecoavam nas senzalas e nos terreiros. Aliás as raízes africanas do Brasil nunca ficaram de fora de seus trabalhos.

J.T Meirelles e o Copa 5 no lendário Beco das Garrafas

Composições como Anjo Azul, Gimbo, Capoeira e Não Desanima Não João mostram o leque poético de Ben Jor,que trata do amor, da boa malandragem, da história do negro sem se deixar levar por  clichês básicos que se perdem com o tempo.

Sacundin Ben Samba

Sacundin Ben Samba fincou Jorge Ben na nossa música e abriu portas para os afro-sambas que chegariam com Baden Powell e Vinicius de Moraes e o swingue do samba-rock que iria estourar como nomes como Trio Mocotó e Bebeto. Um álbum clássico que merece lugar reservado em nossos HD’S ou prateleiras se você preferir a versão física do 2o trabalho de Ben Jor. E se quiser ficar por dentro do histórico deste gênio da nossa música é só dar um pulinho no seu site www.jorgeben.com.br.

Para te dar um gostinho de Sacundin Ben Samba você confere aqui Não Desanima Não João.

jorgeben-naodesanimajoao

Até a próxima!
Por Michelle Bruck