aqui no brasil não é novidade, mas a onda black setentista que rolou pelo país está em alta entre os ingleses. muito também por mérito do dj cliffy. o cara é fissurado com o brasil, passeia por aqui frequentemente garimpando bolachas de clássicos do samba soul, ajuda uma ong que cuida de crianças carentes no recife, e ainda é o responsável pela festa batmacumba, balada constante na noite londrina com um repertório da primeira divisão do black nacional. batizada com nome obviamente inspirado em outra unanimidade entre os ingleses: os mutantes.

e a repercussão do black brazuca por lá tem sido tão positiva que a gravadora strut records soltou essa semana o álbum black rio 2, a segunda edição dessa compilação de medalhões da música negra, como os diagonais, bebeto, emilio santiago… black rio era uma balada que rolava no rio de janeiro, comecinho dos anos 70, reunindo a então novidade do samba soul, que deu origem ainda à banda black rio.

o repertório do disco traz uma “suingueira” da pesada, com uma parede sonora e luxuosa esbanjando nos sopros e no groove. pra quem se amarra nesse beat é um prato cheio.

enfim, ponto pro dj cliffy, que leva pra europa as boas referências da cultura e da vasta música que é produzida por aqui. pra saber mais desse lançamento e curtir algumas das faixas do álbum, dê um pulo no site black rio.