Busca

linksonoro

um link e muitos sons

Ottomatopeia, novo álbum de Otto

(Ouça a íntegra do programa aqui)

 

 

Após uma hiato de 5 anos o cantor Otto lançou recentemente Ottomatopeia, álbum que teve produção independente e traz uma lado mais pop do músico. Neste período o moço esteve ocupado com seus shows mundo afora e com a radar antenado para as situações nada agradáveis que vem assolando o país. E a palavra é uma grande aliada de Otto, que se diz um poeta que escreve diariamente, daí a força da sua escrita, exercitada todos os dias.

 

Ottomatopeia

 

Ottomatopeia é um manancial poético onde Otto abraça o amor, suas desilusões, as alegrias da vida e seus dissabores. Todos esses temas são tratados de maneira leve e inteira em uma entrega típica deste pernambucano que não se permite ser pelas metades. As emoções, as canções, a dança, o verbo, tudo em Otto é uma avalanche completa de sensações. Talvez por isso seus trabalhos, em estúdio ou no palco, sejam tão intensos e cheios de cor.

 

Otto, um artista intenso

 

Em seu novo projeto Otto nos oferece um mix melódico saboroso onde a percussão, uma das características marcantes do cantor, deixa sua assinatura em parceria com leves batidas eletrônicas, guitarras melódicas, violinos, além de ritmos que passam pela matriz africana,  o bolero, carimbó e rock.

 

Otto

 

Em Ottomatopeia Otto se cercou de parceiros de longa data e novos agregados para dar vida a suas idéias. A produção ficou por conta de Pupillo que também assina com Otto algumas faixas. E como a dobradinha dos dois vem de longa data, Pupillo soube absorver toda a efervescência criativa de Otto e transformá-la em arranjos elaborados e cheios de nuances, dando um brilho forte para as criações do cantor.

 

Pupillo, parceirão de longa data de Otto

 

E já que estamos falando de parcerias em Ottomatopeia, Otto convidou um time eclético para compor o rol de ilustres participações que estão presentes nos álbum. No novo trabalho de Otto marcam presença Roberta Miranda, de quem Otto se diz fã, na faixa Meu Dengo sucesso de Roberta que integrou a trilha sonora do filme Quase Samba. Além de Roberta estão também Andreas Kisser, do Sepultura, em Orunmilá, o músico Zé Renato em Carinhosa, Céu que faz backing vocal em Meu Dengo e Manoel e Felipe Cordeiro na faixa Teorema. Ou seja Ottomatopeia ganhou um brilho a mais com músicos das mais variadas vertentes que com seus estilos acrescentaram um charme a mais ao álbum.

 

Roberta Miranda, participação ilustre em Ottomatopeia

 

Vale destacar também o projeto gráfico inspirado na arte do fotógrafo japonês Araki Nobuyoshi, que teve seu trabalho apresentado a Otto por sua esposa. Belas e instigantes fotos compõe o trabalho e complementam a poesia do moço. Se você ainda não conferiu Ottomatopeia tai uma boa oportunidade, o álbum está disponível em diversas plataformas de streaming e no Youtube e para acompanhar o trabalho de Otto mais de perto é só acessar facebook.com/oficial.otto.

Até a próxima! 😀

 

Coração, novo álbum de Johnny Hooker

(Ouça a íntegra do programa aqui)

 

 

Quando o assunto é o coração é difícil controlar algumas emoções e se o caso é o amor…isso se torna mais complicado ainda. Para soltar essas sensações nada melhor que compor e cantar a pleno pulmões tudo que está guardado. E é exatamente isso que o cantor pernambucano Johnny Hooker faz em seu novo álbum, Coração, lançado recentemente.

 

Coração

 

Em Coração, Hooker mantém a linha dos seus temas mas diversifica quando o assunto é melodia e estilos musicais. Se antes o cantor passeou pelo brega, desta vez seu trabalho se abre para o samba, o axé, o blues em um mix sonoro que leva o ouvinte para um passeio pelos amores, dores e expectativas de Johnny. Pode parecer um pouco confuso tantas referências musicais em um só lugar, mas a proposta do músico se mostra coerente ao longo do álbum e mesmo que seu canto solte poemas fortes de refrões contagiantes, toda essa diversidade musical consegue cativar o ouvinte faixa a faixa.

 

Johnny Hooker

 

Sucessor de Eu vou Fazer Uma Macumba Pra Te Amarrar, Maldito de 2015, Coração traz em seu repertório 12 faixas bem construídas e arranjadas. Se por vezes a guitarra norteia a canção em outras percussão é a mola propulsora das composições. E não para por aí, baladas com violinos e piano também ganham espaço no novo trabalho de Johnny Hooker. Essa miscelânia está presente em faixas como Página Virada, Crise de Carência, Touro e Caetano Veloso.

 

Johnny

 

Em seu novo projeto Hooker contou com as participações pra lá de especiais de Gaby Amaranto no swing tecnobrega Corpo Fechado e da cantora paulista Liniker e sua banda Os Caramelows em Flutua, uma balada no melhor estilo R&B. Essa faixa inclusive gerou uma certa polêmica na ocasião do seu lançamento. A foto mostra Liniker e Hooker se beijando e foi censurada no Youtube e no Facebook que consideraram a imagem com um certo teor sexual. Aqui um parênteses : estamos encerrando a segunda década do século XXI, ou seja atitude que não condiz com os tempos atuais e todo o movimento feito ao redor do mundo pelos direitos LGBTI. Mas Johnny, se posicionou nas redes sociais e sua campanha ajudou a liberar a foto, que diga-se de passagem ficou muito bonita.

 

Liniker e Johnny, a foto censurada

 

E já que estamos falando de imagem vale destacar o projeto visual assinado pelo também cantor Filipe Catto que assina a capa e a contra capa do álbum onde o mar faz fundo para uma foto de Johnny Hooker, além de um coração formado por uma bela joia de pedras azuis deitada na areia de uma praia.

 

Filipe Catto

 

Se você ainda não ouviu Coração vale a pena uma audição. O trabalho está disponível em plataformas como Spotify e Youtube e para acompanhar o trabalho do moço uma boa pedida é sua página no Facebook, facebook.com/JohnnyHookerBr, estão lá vídeos, fotos e agenda do cantor.

Até a próxima! 😀

 

Fake Sugar, a estreia solo de Beth Ditto

(Ouça a íntegra do programa aqui)

 

 

Se você não se ausentou deste planeta na primeira década do século XXI e se acompanha a cena indie rock, com certeza se lembra da banda The Gossip, trio que incendiou a cena musical com seu som pulsante e a presença incendiária da vocalista Beth Ditto. Passados os anos e após algumas diferenças entre seus integrantes a banda se desfez e Beth Ditto inaugurou sua carreira solo. Este mês Beth lançou Fake Sugar, trabalho que não afasta Ditto da sua proposta rock mas traz a tona seu lado compositora e uma preocupação com a presença da sua voz potente e interpretação visceral.

 

Fake Sugar

 

Em Fake Sugar, Beth Ditto se une aos parceiros da atual banda e a produtora Jenn Delciveo – que Beth descreve com a rodinha do seu patins – para dar vida as suas idéias e transformá-las em letras que ganham cor nos arranjos potentes para as faixas. A força que Ditto põe em seu canto é um ingrediente fundametal para as composições e por falar nisso, diferentemente do trabalho anterior da moça, o The Gossip, a voz de Beth está mais presente e sem alguns excessos que permeavam o som da sua ex-banda. Beth Ditto surge com uma linha vocal mais elaborada e consistente, sem perder sua potência e estilo vigoroso de se apresentar.

 

A garota solta a voz sem medo

 

Neste álbum que inaugura a carreira solo de Beth Ditto fãs do seu antigo grupo e da cantora com certeza vão ter uma grata surpresa. A moça reuniu uma banda de primeira,  bem entrosada, que encaixou como uma luva com o estilo de Ditto e que além disso soube captar a essência da proposta de Fake Sugar. Segundo a própria Beth “este é seu álbum sulista mas sem ser country”. E de fato os arranjos para todos  os instrumentos acompanham a intensidade que a cantora coloca em suas interpretações. Ou seja, são camas perfeitas para as criações da moça. As linhas de guitarra, baixo e bateria se fundem aos teclados que dão uma atmosfera enfervescente mesmo nas faixas e momentos mais sutis.

 

Beth Ditto

 

Nas 12 composições que compõe Fake Sugar podemos encontrar verdadeiras pérolas que despertam nossa curiosidade e nos levam para o universo sonoro cheio de nuances de Beth Ditto. Fire, In And Out, Oo La La, We Could Run, Love In Real Life e Oh My God nos mostram a forte personalidade musical de Beth que se entrega de corpo e alma em seu trabalho solo. Para você ficar por dentro de Fake Sugar e de todo o trabalho de Ditto é só acessar bethditto.com. Boa viagem por Fake Sugar!

Até a próxima! 😀

 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑